Assistência Social

social-care.png

Assistente Social é o profissional graduado em Serviço Social. Dentre as atribuições do assistente social em geral, está a análise, elaboração, coordenação e execução de planos e projetos para viabilizar os direitos da população e seu acesso às políticas sociais, como, por exemplo, a saúde, a educação, previdência e assistência social, habitação e cultura.

O assistente social trabalha com pessoas vulnerabilizadas que pedem um gesto humano: um olhar, um sorriso, uma palavra, uma escuta atenta, um acolhimento, para que possam se fortalecer na sua própria humanidade.

Com a criação do Sistema Único de Saúde, ampliaram-se os espaços de atuação do assistente social, sendo o profissional chamado a atuar com as políticas públicas intervindo e orientando sobre direitos sociais.

O assistente social na área da saúde também desempenha um papel muito importante, seja no diagnóstico e nas discussões sociais dos pacientes, familiares e acompanhantes.

 

Por estar situado no processo de trabalho coletivo em saúde, o assistente social, pautado na lógica dos direitos e da cidadania, a organização do seu trabalho abarca os fatores de ordem política, econômica e social que condicionam o direito a ter acesso aos bens e serviços necessários para se garantir a saúde, bem como exige uma consciência sanitária que se traduz em ações operativas na concretização dos direitos.

Os assistente sociais trabalham em conjunto com outros profissionais para garantir os direitos de acesso aos serviços de saúde, contribuindo assim na humanização do atendimento, visando a melhoria na qualidade de vida do paciente.

De acordo com o Ministério da Saúde, as responsabilidades do assistente social na saúde são:

  • Compreender a situação do usuário, através do atendimento, e realizar o encaminhamento adequado;

  • Informar e mobilizar o usuário acerca de seus direitos e de seu papel como cidadão, o conscientizando de que a Assistência Social não oferece favores, mas garante seu direito à proteção social;

  • Facilitar o acesso aos serviços de saúde;

  • Discutir a situação social do usuário/paciente com os profissionais da saúde;

  • Participar, sempre que possível, de encontros interdisciplinares;

  • Acompanhar e estimular o tratamento de saúde do usuário;

  • Envolver os familiares e alertá-los sobre a importância de seu apoio no tratamento.

É claro que dentro dessas atribuições estão envolvidas muitas outras responsabilidades, como visitas diárias nos leitos dos pacientes que se encontram em observação, localizar familiares de pacientes, identificar desconhecidos, prover orientação a pacientes e familiares quanto à importância do tratamento de saúde, atuar como mediador e facilitador nos casos que necessitem de transferência hospitalar intermunicipal, dar acolhimento e apoio a famílias enlutadas, em caso de óbito, dentro muitas outras coisas.